sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Do que sinto


Isso que sinto
só se cura
com um copo de vinho
um livro de poesia
um disco
uma jura
só se cura
com um beijo
com o sim
do indivíduo
com o óbvio
com o ferro
com um tiro
isso que sinto
tão difícil
tão distinto
só se cura
com o gozo
do infinito
com uma festa
as duas da tarde
que fazíamos
quando eramos meninos
isso que sinto
só se cura
com notícias
científicas
de um novo remédio
antídoto
nascido
da própria corrupção
da doença
só se cura
com a negação
do sim e do não
com o pão
que nem mesmo o diabo
aceitou
isso que sinto

só.

Talles Azigon

Um comentário:

Decifra-me e devoro-te